sexta-feira, 20 de abril de 2007

Diagrama

a
Pintaste a veste

de teus olhos

com ocaso.


Depois levaste o

que sobrou de teu

silêncio pelas mãos.


Houve quem dissesse que

estavas a quebrar as veias,

tecendo o peso de tuas

pernas com saudades.


Outros viram que traçaste

em bocas a cidade nua,

plantando o rosto em

alguma rua que acabara

de nascer.


De todos os nomes colhidos

nas calçadas, o teu era

dos mais doces.


20/04/2007

7 comentários:

Clarissa disse...

Colhendo nomes nas calçadas, sentimentos nas pessoas e sons em meio a cidade caótica... criando espelho para os leitores e formas de conhecer a si mesmo. Lindo, como sempre.

Quando o próximo vier, mais uma noite de debates!!!! =)

Carla Luz disse...

Arrumando: " muda o foco" e não o foto.

lisya_helena disse...

Nossa, que poema intenso, nego!!!
Vi tudo... a cidade, uma saudade, uma solidão, de certa forma, já esperada...
Linda a penúltima estrofe...
Adorei... e gosto, mais ainda, de estar conhecendo esse seu momento!

Beijos.

Clarissa Bahia disse...

Lindo... cadê você?
Saudades...

Carla Luz disse...

Rômulo!!
Mais poesias!Mais!
Cadê?
Cadê?
Beijos

Daniele disse...

Zé Pirulito, te falei sou chata com poesia mas adorei as tuas. Vou roubar a Simetria rs. Poemas se respondem com poemas.

4º Motivo da Rosa
Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.
Rosas verá, só de cinzas franzidas,
mortas, intactas pelo teu jardim.
Eu deixo aroma até nos meus espinhos
ao longe, o vento vai falando de mim.
E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.
Cecília Meireles

Isabelle disse...

Olá,Rômulo!
Tudo bem?
Eu sou Isabelle do blog Educação? Educação! Educação...
Consegui os vídeos do desenho animado da Disney no youtube.Aí segue os links,ok?
http://www.youtube.com/watch?v=XISPKV06HHQ
http://www.youtube.com/watch?v=OrLdpryXj-U&feature=related
Um abraço!
:)